domingo, 31 de outubro de 2010

Dia 31 vote 13

Hoje é o dia do povo brasileiro não só mostrar sua cidadania votando, como também elegendo a pessoa que vai dar continuidade a semente plantada por Lula. O país que sempre foi sinônimo de desemprego, pobreza e pela falta de esperança de seu povo, hoje graças a politica do governo Lula, o povo pode andar de cabeça erguida. Muita coisa foi feita, principalmente se você levar em consideração a história do Brasil, oito anos é muito pouco.
Por isso ainda tem-se muito a fazer, principalmente para elevar a renda dos brasileiro e extinguir de vez a miséria e dar adeus a politica neoliberal de exploração dos mais pobres e das privatizações de nossas riquezas. Vamos dar um salto ainda maior elegendo Dilma, como nossa primeira presidente mulher da história do Brasil, que vai pegar um país com uma economia mais forte e com um povo confiante que o Brasil vai continuar mudando. Se a vitória da Dilma se confirmar, não vai ser apenas a vitória da candidata ao cargo de presidente, será a vitória de todo o povo brasileiro.

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

Edição da Rede Globo de "Manipulações"no debate de 1989

Nessa sexta-feira a globo realiza o seu debate entre Dilma e Serra, vale apena ficar atento a rede globo de "manipulações". Pois em 1989, a Globo fez uma edição no Jornal Nacional, ao qual beneficiou os melhores momentos do candidato Collor, e cortaram a fala do Lula, dando a impressão que Collor foi bem superior no debate.
No final a globo mostra um pesquisa encomendada pela própria onde foram entrevistadas 490 pessoas em 114 múnicipios, dando uma média de 4,2 pessoas por múnicipio, estranho isso não??

Abaixo vai o vídeo polêmico, que  talvez tenha decidido a vitória apertada de Collor no segundo turno

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

terça-feira, 26 de outubro de 2010

Revista francesa"Courrier" defende Lula

A revista francesa courrier defendeu Lula, em sua publicação, onde ele é a capa. A revista dedica a sua matéria ao fato da imprensa brasileira fazer tantos ataques ao presidente, que fez um governo voltado para os mais desfavorecidos.
Abaixo vai a matéria da revista Courrier

Na reta final da campanha, as más relações entre os principais jornais e do governo. Esse fenômeno já ocorreu durante na reeleição de Lula em 2006, quando a classe média abastada tinha caído. Quatro famílias controlam a mídia social: o Marinho, dono do jornal do Rio O Globo ea toda-poderosa TV Globo, a Mesquita de O Estado de São Paulo , os Frias da Folha de São Paulo , e Civita da editora Abril, editora da revista semanal Veja. Estas grandes famílias nunca foram entregues para a eleição de Lula,que consideram o presidente mal educado, veio de um estado pobre e dos sindicatos.


Recentemente, a mídia tem desencadeado uma campanha contra Dilma Rousseff, candidata de Lula, na esperança de derrubar o presidente do Partido dos Trabalhadores, o que significa ter tido um monte de saldos negativos registrados por anos de forçar com Lula. Artigos sobre as empresas a corrupção que marcou os oito anos de governo do PT. É verdade que o próprio governo deu munição para seus adversários com uma sucessão de escândalos: O mais famoso deles, "Mensalão", em 2005, custou o cargo ao primeiro-ministro José Dirceu, então candidato natural para a sucessão.


Dilma Rousseff ,está enfrentando acusações de tráfico de influência, 16 de setembro, levou à demissão de seu braço direito, Erenice Guerra. Na semana passada vimos nas ruas de São Paulo eventos "em defesa da democracia", mas também outros "contra os abusos da imprensa".


A imprensa nunca foi cordial com o Presidente Lula. Em 2004, a Presidência tinha sequer ameaçou expulsar o correspondente do New York Times, Larry Rohter, que havia sugerido que Lula bebia demais . Na véspera da eleição, o presidente continua a queixar-se da atitude hostil da mídia com relação ao PT, o que aumenta as reações indignadas de tais meios. Muitos colunistas criticam demais por se dedicar à campanha de sua candidata em detrimento dos assuntos de Estado. A carga de toras é por vezes caricatural. Assim, a Folha de São Paulo, em setembro, não hesitou em fazer Dilma Rousseff, responsável pela perda de 1.000 milhões de dólares por ter demorado demais para mudar uma Lei de Energia que foi aprovada no final do mandato de Fernando Henrique Cardoso (1994-2002). No entanto, o eleitorado não se deixa enganar: o resultado deste caso, as piadas têm circulado massivamente no Twitter, Dilma Rousseff, atribuindo todos os males do mundo. A imprensa também parece ter perdido a sua antiga influência. O fato de que seus leitores se limitam principalmente aos mais ricos do Sul agora limitar a sua influência. A empresa agora tem acesso à informação através de milhares de ONGs e associações, sem esquecer o papel essencial da internet. E canais de televisão de acesso livre, que continuam, de longe, a maior fonte de notícias, adotaram uma postura cautelosa em suas críticas ao governo, supostamente para evitar a alienação de suas audiências compostos naturais do meio e classes pobres, que continuam a adular um presidente que se assemelha a eles.

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

Um presente para os fãs dos Engenheiros do Hawaii




22 anos do Lançamento do Disco " A Revolta dos Dândis"
Apelidado de ARDD por tio Beto

obs. Particularmente essa é a música dos enghaw que eu mais gosto :D

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Pilatos

Marina(PV) e Plínio(PSOL)
"Pilatos não pode mais lavar as mãos com sabonete verde. Lamentável que Marina e o PSOL estejam 'pensando'. Os que morrem de fome, de pancada, os que foram torturados e mortos, esses não tiveram esse confortável tempo para optar. A reação, desde a Comuna de Paris, desde os Espartaquistas, sempre matou mais rápido, enquanto gente do "bem" pensava...

Votem em Dilma - ou regridam às privatizações selvagens, à perda da Petrobras, ao comando do latifúndio, dos ruralistas, dos banqueiros, de todas as forças retrógradas do país, incluindo os torturadores".

Por 
Aldir Blanc

domingo, 17 de outubro de 2010

O significado da Privatização.


Serra vendendo a companhia Elétrica Light


Por Paulo Daniel*

Discutir privatização pode parecer uma questão complexa, que está no cerne da doutrina neoliberal, diz respeito ao papel do Estado na economia. E que de certa maneira, ressurge com uma forte pauta nas eleições presidenciais deste ano.

É praticamente consensual que o Estado deve ser forte e ágil e não um big government paralisante, mas sua capacidade de intervenção e regulação eficientes não deveria desaparecer e sim, ao contrário, fortalecer-se para poder encaminhar reformas institucionais necessárias, tanto do mercado quanto do próprio Estado.
A partir dos anos 70, o Estado surge de vilão. Todos os males parecem poder ser resolvidos pela abertura da economia, pela diminuição do Estado e/ou pela contração de seus gastos. No coração do sistema, os Estados Unidos atacam de reaganomics e supply side economics; a Inglaterra vem com Mrs. Thatcher e suas privatizações; para o terceiro mundo reserva-se o Consenso de Washington.
No Brasil, na década de 70, o “milagre econômico” e o II PND pavimentaram o crescimento brasileiro, com forte participação do Estado via empresas estatais. Entretanto, a partir do final da década com a elevação das taxas de juros norte-americanas, a capacidade de investimento do setor público e privado, tornaram-se decrescentes.
A década de 80 brasileira tem uma preocupação principal; resolver a vulnerabilidade internacional que é a dívida externa, portanto, é a partir daí, tardiamente, que o Brasil inicia-se seu processo de liberalização e abertura econômica.
Nesse período, devido a escassez de crédito nacional, internacional e o alto volume da dívida externa brasileira as empresas nacionais e estatais vão perdendo a capacidade de investimento e inovação tecnológica, por conta disso, surge o centro do discurso neoliberal; o Estado e suas empresas são ineficientes. É fato, por uma razão simples, o Estado brasileiro naquele momento preferiu pagar a dívida externa, de acordo com a cartilha do FMI (Fundo Monetário Internacional) à continuar os investimentos em políticas de infraestrutura e social.
Na década de 90, com a eleição de Fernando Collor, inicia-se concretamente o processo de privatização brasileiro, mas é justamente com Fernando Henrique Cardoso que esse programa é intensificado, tanto é que “rendeu” aos cofres públicos entre 1995 a 2002 US$ 93 bilhões, nesse processo foram bancos como o Banerj e o Banespa, a Vale do Rio do Doce, a Usiminas, a CSN, o sistema de telecomunicações e elétrico.
A partir de 1994, o plano Real estrutura-se em um dos principais pilares; o ajuste fiscal, ou seja, privatização, enxugamento da máquina administrativa e redução dos gastos públicos, principalmente, em investimentos de infraestrutura, sucateando ainda mais o Estado brasileiro.
O Estado não sai de cena, apenas modifica sua agenda, consolida-se não mais como produtor de bens e serviços, mas sim, um Estado financeirizado, em que a lógica é dinheiro e mais dinheiro, sem passar pelas agruras do processo de produção.
Portanto, a lógica neoliberal, iniciada com Collor e consolidada com FHC, é o Estado não mais produzir para gerar emprego e renda e sim economizar (superávit primário e nominal) para pagamento de juros da dívida pública, ou seja, venderam o patrimônio do povo brasileiro, financiado pelo BNDES, que ainda é patrimônio de todos nós, pois sua maior fonte de receita advém do PIS e PASEP.
O processo de privatização brasileiro, como em qualquer país da América Latina, representou e representa concentração de renda e riqueza, desnacionalização de nossas empresas, redução e má qualidade dos serviços prestados; uma comprovação disso, basta observar o sistema de telecomunicações brasileiro, o gasto em telefonia praticamente triplicou entre 98 e 2010, as tarifas de energia elétrica sobem sempre acima da inflação e as rodovias, principalmente as paulistas, a cada dia com mais pedágios e cada vez mais caros.
Entender a lógica e o significado da privatização é entender o debate presidencial travado nesse 2º.turno. Que papel as empresas estatais brasileiras terão no desenvolvimento brasileiro? O Estado manterá a lógica de superavits primários elevados? Esse é justamente alguns dos pontos que as candidaturas à Presidência da República se diferenciam.
Nesse momento de crise internacional, o candidato que ainda insistir em privatizar ou até mesmo defender a privatização brasileira, estará remando contra a maré do próprio sistema capitalista atual, talvez ainda não tenha entendido, ou não quer entender, o conselho de um prêmio Nobel de economia Paul Krugman em que diz; “a difundida crença de que as reformas voltadas para a abertura das economias e a liberação dos mercados produzirá uma dramática aceleração no crescimento dos países em desenvolvimento representa um salto no escuro e um ato de fé.”

sábado, 16 de outubro de 2010

S.O.J.A - Open My Eyes




Abro Meus Olhos


Abro meus olhos, a cada manhã que levanto
Para encontrar a verdade que eu sei que está lá.
Tenho sorte de respirar, tenho sorte de sentir,
Sou feliz por acordar, sou feliz por estar aqui.
Com todo esse mundo, e toda sua dor,
Todas as suas mentiras, e todos as suas mazelas...
Ainda sinto uma sensação de liberdade -
Tão feliz por estar aqui

É minha liberdade, não podem tirar de mim
Sei que não mudará
Mas, precisamos de um pouco de entendimento,
Eu sei que ficaremos bem...

Bem.

O dia que eu morrer, e o dia que eu partir
Nunca me arrependerei um minuto da vida.
Aprendi com a dor, aprendi com as lágrimas...
Tenho andando pela escuridão, agora eu vejo a luz.
Cada crítica de todo mundo
De cada estado em cada terra,
Existe algo para se grato...

É minha liberdade
Porque eu, eu faço tudo por você
Porque você faz tudo por mim - então eu faço tudo por
você

Abro meus olhos, a cada manhã que levanto
Para encontrar a verdade que eu sei que está lá.
Não posso te dizer como, você não pode me dizer porquê
Mas viver minha vida é tudo com que me importo
O fardo pode ser por vezes maior que eu
Às vezes mais forte que eu e difícil de carregar
Mas eu não poderia ligar menos, sem estresse
Porque
Jah me colocou aqui

É minha liberdade
Eu sei você sabe
Porque eu, eu faço tudo por você
Porque você faz tudo por mim - então eu faço tudo por
você
Nós precisamos muito parar

quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Marina Silva: O trampolim de Serra

Marina, você se pintou?

Marina, morena Marina, você se pintou” – diz a canção de Caymmi. Mas é provável, Marina, que pintaram você. Era a candidata ideal: mulher, militante, ecológica e socialmente comprometida com o “grito da Terra e o grito dos pobres”, como diz Leonardo.
Dizem que escolheu o partido errado. Pode ser. Mas, por outro lado, o que é certo neste confuso tempo de partidos gelatinosos, de alianças surreais e de pragmatismo hiperbólico? Quem pode atirar a primeira pedra no que diz respeito a escolhas partidárias?
Mas ainda assim, Marina, sua candidatura estava fadada a não decolar. Não pela causa que defende, não pela grandeza de sua figura. Mas pelo fato de que as verdadeiras causas que afetam a população do Brasil não interessam aos financiadores de campanha, às elites e aos seus meios de comunicação. A batalha não era para ser sua. Era de Dilma contra Serra. Do governo Lula contra o governo do PSDB/DEM. Assim decidiram as “famiglias” que controlam a informação no país. E elas não só decidiram quem iria duelar, mas também quiseram definir o vencedor. O Estadãodixit: Serra deve ser eleito.
Mas a estratégia de reconduzir ao poder a velha aliança PSDB/DEM estava fazendo água. O povo insistia em confirmar não a sua preferência por Dilma, mas seu apreço pelo Lula. O que, é claro, se revertia em intenção de voto em sua candidata. Mas “os filhos das trevas são mais espertos do que os filhos da luz”. Sacaram da manga um ás escondido.
Usar a Marina como trampolim para levar o tucano para o segundo turno e ganhar tempo para a guerra suja.
Marina, você, cujo coração é vermelho e verde, foi pintada de azul. “Azul tucano”. Deram-lhe o espaço que sua causa nunca teve, que sua luta junto aos seringueiros e contra as elites rurais jamais alcançaria nos grandes meios de comunicação. A Globo nunca esteve ao seu lado. A Veja, a FSP, o Estadão jamais se preocuparam com a ecologia profunda. Eles sempre foram, e ainda são, seus e nossos inimigos viscerais.
Mas a estratégia deu certo. Serra foi para o segundo turno, e a mídia não cansa de propagar a “vitória da Marina”. Não aceite esse presente de grego. Hão de descartá-la assim que você falar qual é exatamente a sua luta e contra quem ela se dirige.
“Marina, você faça tudo, mas faça o favor”: não deixe que a pintem de azul tucano. Sua história não permite isso. E não deixe que seus eleitores se iludam acreditando que você está mais perto de Serra do que de Dilma. Que não pensem que sua luta pode torná-la neutra ou que pensem que para você “tanto faz”. Que os percalços e dificuldades que você
teve no Governo Lula não a façam esquecer os 8 anos de FHC e os 500 anos de domínio absoluto da Casagrande no país cuja maioria vive na senzala. Não deixe que pintem “esse rosto que o povo gosta, que gosta e é só dele”.
Dilma, admitamos, não é a candidata de nossos sonhos. Mas Serra o é de nossos mais terríveis pesadelos. Ajude-nos a enfrentá-lo. Você não precisa dos paparicos da elite brasileira e de seus meios de comunicação. “Marina, você já é bonita com o que Deus lhe deu”.

Fonte: 
Professor de filosofia da UFES, autor de Iara e a Arca da Filosofia (Mercuryo Jovem), dentre outros

Serra e o Bolsa familia




Votar em Serra é virar as costas para as conquistas e os programas Sociais. Não podemos voltar ao Brasil de 8 anos atrás.

domingo, 10 de outubro de 2010

As mentiras sobre a Dilma


A onda de calunias e difamação contra a candidata Dilma recomeçou com força total, com um modo sujo de fazer política do candidato José Serra. Vamos fica de olhos bem abertos e divulgar o máximo possível toda essa calunia.

1° É MENTIRA que Dilma tenha dito “nem mesmo Cristo querendo, me tira essa vitória” 


2° É MENTIRA que o PT e Dilma defendam o aborto 

3° É MENTIRA que Dilma é Lésbica e tem uma parceira que entrou na Justiça, Dilma é casada e tem uma filha!

4° É MENTIRA que Dilma pense em mudar as aposentadorias!

5° É MENTIRA que Dilma vai interferir nas religiões!

E essas mentiras só se espalham porque o SERRA está despeitado e como ele viu que Dilma é muito forte, ele partiu para o jogo baixo, como aquela carinha de bom senhor dele nunca escondeu!

Quem é Honesto de verdade, joga limpo até o final!

VOTE DILMA PRESIDENTE E FAÇA UM BRASIL MELHOR! 13


confira tudo aqui http://www.dilma13.com.br/verdades 

sábado, 9 de outubro de 2010

Lula/Dilma X FHC/Serra


Fonte: http://blogdadilma.blog.br/

Decida pelo melhor.
Conheça a verdade, porque ela os libertará.
GOVERNO LULA – PT (7,8 ANOS)
GOVERNO PSDB – PSDB/PFL (8 ANOS)
1) Número de policiais federais:
Governo Lula: 13 mil
Governo PSDB/PFL: 5 mil
2) Operações da PF contra a corrupção, sonegação de impostos, crime organizado e lavagem de dinheiro:
Governo Lula: 358
Governo PSDB/PFL: 20
3) Prisões efetuadas pelos motivos acima:
Governo Lula: 3.971
Governo PSDB/PFL: 54
4) Criação de empregos:
Governo Lula: 36 milhões (14,6 milhões com carteira assinada)
Governo PSDB/PFL: 700 mil
5) Média anual de empregos gerados:
Governo Lula: 2,14 milhões
Governo PSDB/PFL: 87,5 mil
6) Taxa de desemprego nas regiões metropolitanas:
Governo Lula: 6,3%
Governo PSDB/PFL: 11,7%
7) Desemprego em SP, maior cidade do país:
Governo Lula: 12,9%
Governo PSDB/PFL: 19,0%
8) Exportações (em dólares)/ano:
Governo Lula: 258,3 bilhões
Governo PSDB/PFL: 60,4 bilhões
9) Balança comercial (em dólares):
Governo Lula: 265,3 bilhões (positivos)
Governo PSDB/PFL: – 8,4 bilhões (negativos)
10) Transações correntes (em dólares):
Governo Lula: 110,1 bilhões (positivos)
Governo PSDB/PFL: – 186,2 bilhões (negativos)
11) Risco-país:
Governo Lula: 204
Governo PSDB/PFL: 2.400* No governo Lula, o país atingiu o patamar mais baixo da história.
12) Inflação:
Governo Lula: 3,8% (média)
Governo PSDB/PFL: 12,53%
13) Dívida com o FMI (em dólares):
Governo Lula: dívida paga – Hoje o FMI nos deve 18 bilhões
Governo PSDB/PFL: 14,7 bilhões (todo ano emprestávamos uma média de 10 bilhões que desapareciam inexplicavelmente)
14) Dívida com o Clube de Paris (em dólares):
Governo Lula: dívida paga
Governo PSDB/PFL: 5 bilhões
15) Dívida externa/PIB:
Governo Lula: 2,41%
Governo PSDB/PFL:12,45%
16) Empréstimo para habitação (em reais):
Governo Lula: 9,5 bilhões
Governo PSDB/PFL: 1,7 bilhões
17) Crescimento industrial:
Governo Lula: 8,77%
Governo PSDB/PFL: 1,94%
18) Produção de bens duráveis:
Governo Lula: 14,8%
Governo PSDB/PFL: 2,4%
19) Aumento na produção de veículos:
Governo Lula: 5,4%
Governo PSDB/PFL: 1,8%
20) Crédito para a agricultura familiar:
Governo Lula: 11,3%
Governo PSDB/PFL: 2,4%
21) Valor do salário mínimo em dólares:
Governo Lula: Quase 300
Governo PSDB/PFL: 55
22) Poder de compra do salário mínimo em relação à cesta básica:
Governo Lula: 3,7 cestas básicas
Governo PSDB/PFL: 1,3 cesta básica
23) Aumento do custo da cesta básica:
Governo Lula: 15,6%
Governo PSDB/PFL: 81,6%
24) Transferência de renda (em reais):
Governo Lula: 12,1 bilhões
Governo PSDB/PFL: 2,3 bilhões
25) Média por família:
Governo Lula: 87 reais
Governo PSDB/PFL: 25 reais
26) Atendidos pelo programa Brasil Sorridente (atendimento odontológico):
Governo Lula: 35,7%
Governo PSDB/PFL: 17,5%* 15 milhões de brasileiros foram pela primeira vez ao dentista.
27) Mortalidade infantil indígena (por 1000 habitantes):
Governo Lula: 18,6
Governo PSDB/PFL: 55,7
28) Pró-jovem – estudo subsidiado:
Governo Lula: 183 mil (18 a 24 anos)
Governo PSDB/PFL: não havia programa, nem registro.
29) Bolsa Família:
Governo Lula: 24,1 milhões de famílias
Governo PSDB/PFL: o programa era o Bolsa Escola com atendimento restrito a um pequeno número de pessoas.
30) Incremento no acesso a água no semi-árido nordestino:
Governo Lula: 1.762 mil pessoas e 152 mil cisternas
Governo PSDB/PFL: zero, não havia programa.
31) Distribuição de leite no semi-árido (sistema pequeno produtor):
Governo Lula: 8,3 milhões de brasileiros
Governo PSDB/PFL: zero, não havia programa.
32) Áreas ambientais preservadas:
Governo Lula: incremento de 25,6 milhões de hectares
Do ano do Descobrimento do Brasil até 2002: 40 milhões de hectares
33) Apoio à agricultura familiar:
Governo Lula: mais de 40 bilhões
Governo PSDB/PFL: Maior repasse 2,5 bilhões
34) Compra de terras para Reforma Agrária:
Governo Lula: 3,7 bilhões (2003 a 2005)
Governo PSDB/PFL: 1,1 bilhões (1999 a 2002)
35) Investimento do BNDES em micro e pequenas empresas:
Governo Lula: 35,99 bilhões
Governo PSDB/PFL: 8,3 bilhões
36) Investimento anual em saúde básica:
Governo Lula: 2,5 bilhões
Governo PSDB/PFL: 155 milhões
37) Equipes do Programa Saúde da Família:
Governo Lula: 27.401
Governo PSDB/PFL: 16.698
38) Índice BOVESPA:
Governo Lula: 35,2 mil pontos
Governo PSDB/PFL: 11,2 mil pontos
39) Dívida externa:
Governo Lula: (260 BILHÕES EM RESERVAS)
Governo PSDB/PFL: 210 bilhões NEGATIVOS
40) Desemprego no país:
Governo Lula: 8,3%
Governo PSDB/PFL: 12,2%
41) Eletrificação Rural:
Governo Lula: 8 milhões de pessoas
Governo PSDB/PFL: 2,7 mil pessoas
42) Livros gratuitos para o Ensino Médio:
Governo Lula: 17 milhões
Governo PSDB/PFL: zero
43) Geração de Energia Elétrica:
Governo Lula: 1.567 empreendimentos em operação, gerando 95.744.495 kW de potência. Está previsto para os próximos anos uma adição de 26.967.987 kW na capacidade de geração do País, proveniente os 65 empreendimentos atualmente em construção e mais 516 outorgadas.
Governo PSDB/PFL:  Apagão 
44) Construção de Universidades Federais:
Governo Lula: 27 universidades + 58 novos campi
Governo PSDB/PFL: 6 universidades federais em 8 anos
E PARA TERMINAR NO Nº 45:
45) Falcatruas e roubalheiras dentro das instituições do governo federal, estatais, e empresas do governo:
Governo Lula: o povo conhece, a imprensa divulga, a polícia federal age e prende, a Controladoria Geral da União (CGU) investiga e denuncia livremente, o Congresso investiga e denuncia, CPIs são instaladas e corruptos são cassados; a justiça julga, o dinheiro roubado aparece e “companheiros” são expulsos, presos, demitidos, cassados ou punidos.
Governo PSDB/PFL: o governo escondia, a PGR do FHC/Brindeiro “engavetava” a imprensa fazia “vista grossa”; a polícia federal não conseguia agir; o Congresso Nacional “levava o dele”, calava e não investigava; as CPIs eram sufocadas e arquivadas; o dinheiro roubado ia sorrateiramente para o bolso dos “pais da pátria” de sempre ou era desviado para salvar empresas falidas (de amigos); o dinheiro bom do Tesouro Nacional era enfiado em estatais já saqueadas e sucateadas e que, após saneadas com dinheiro do contribuinte eram “entregues” aos “companheiros” da iniciativa privada que “têm mais competência para administrar”; o obscuro processo de venda de estatais dilapidou mais de R$ 150 bilhões do Patrimônio Nacional

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Depoimento de um eleitor do José Serra

www.viomundo.com.br
Bem interessante o texto

Desculpem amigos, vou votar no SERRA. 
“Cansei…Basta”! Vou votar no Serra, do PSDB. 
Cansei de ir ao supermercado e encontrá-lo cheio. O alimento está barato demais. O salário dos pobres aumentou, e qualquer um agora se mete a comprar, carne, queijo, presunto, hambúrguer e iogurte. 
Cansei dos bares e restaurantes lotados nos fins de semana. Se sobra algum, a gentalha toda vai para a noite. Cansei dessa demagogia. 
Cansei de ir em Shopping e ver a pobreza comprando e desfilando com seus celulares. 
O governo reduziu os impostos para os computadores. A Internet virou coisa de qualquer um. Pode? Até o filho da manicure, pedreiro, catador de papel, agora navega… 
Cansei dos estacionamentos sem vaga. Com essa coisa de juro a juro baixo, todo mundo tem carro, até a minha empregada. ” É uma vergonha! “, como dizia o Boris Casoy. Com o Serra os congestionamentos vão acabar, porque como em S.Paulo, vai instalar postos de pedágio nas estradas brasileiras a cada 35 km e cobrar caro. 
Cansei da moda banalizada. Agora, qualquer um pode botar uma confecção. Tem até crédito oferecido pelo governo. O que era exclusivo da Oscar Freire, agora, se vende até no camelô da 25 de Março e no Braz. 
Vergonha, vergonha, vergonha… 
Cansei de ir em banco e ver aquela fila de idosos no Caixa Preferencial, todos trabalhando de office-boys. 
Cansei dessa coisa de biodiesel, de agricultura familiar. O caseiro do meu sítio agora virou “empreendedor” no Nordeste. Pode? Cansei dessa coisa assistencialista de Bolsa Família. Esse dinheiro poderia ser utilizado para abater a dívida dos empresários de comunicação (Globo,SBT,Band, RedeTV, CNT, Fôlha SP, Estadão, etc.). A coitada da “Veja” passando dificuldade e esse governo alimentando gabiru em Pernambuco. É o fim do mundo. 
Cansei dessa história de PROUNI, que botou esses tipinhos, sem berço, na universidade. Até índio, agora, vira médico e advogado. É um desrespeito… Meus filhos, que foram bem criados, precisam conviver e competir com essa raça. 
Cansei dessa história de Luz para Todos. Os capiaus, agora, vão assistir TV até tarde. E, lógico, vão acordar ao meio-dia. Quem vai cuidar da lavoura do Brasil? Diga aí, seu Lula… 
Cansei dessa história de facilitar a construção e a compra da casa própria (73% da população, hoje, tem casa própria, segundo pesquisas recentes do IBGE). E os coitados que vivem de cobrar aluguéis? O que será deles? Cansei dessa palhaçada da desvalorização do dólar. Agora, qualquer um tem MP3, celular e câmera digital. Qualquer umazinha, aqui do prédio, vai passar férias no Exterior. É o fim… 
Vou votar no Serra. Cansei, vou votar no Serra, porque quero de volta as emoções fortes do governo de FHC, quero investir no dólar em disparada e aproveitar a inflação. Investir em ações de Estatais quase de graça e vender com altos lucros. Chega dessa baboseria politicamente correta, dessa hipocrisia de cooperação. O motor da vida é a disputa, o risco… Quem pode, pode, quem não pode, se sacode. Tenho culpa eu, se meu pai era mais esperto que os outros para ganhar dinheiro comprando ações de Estatais quase de graça? Eles que vão trabalhar, vagabundos, porque no capitalismo vence quem tem mais competência. É o único jeito de organizar a sociedade, de mostrar quem é superior e quem é inferior. 
Eu ia anular, mas cansei. Basta! Vou votar no SERRA. Quero ver essa gentalha no lugar que lhe é devido. “Quero minha felicidade de volta.”


Dilma é 13

Dilma Lá ...Com a força do povo!




No segundo turno vai prevalecer a força da continuidade e da mudança              

Com Dilma a mudança continua
Com Serra será um retrocesso para nosso país 






Essa imagem  marca a luta de uma mulher que lutou contra a Ditadura Militar, onde foi presa e torturada por 3 anos, e hojé tem todas as condições de levar esse país para as mudanças necessárias, para o nosso desenvolvimento social e econômico.

Cargos Públicos que a Dilma que ocupou:

Secretária Municipal da Fazenda ( Prefeitura de Porto Alegre)
Secretária Estadual de Energia, Minas e Comunicações ( Rio Grande do Sul)

Ministra de Minas e Energia ( Governo Lula)

Ministra-Chefe da Casa Civil ( Governo Lula)


Uma mulher guerreira, que merece todo o nosso respeito e admiração.

Related Posts with Thumbnails